Outras formas de visualizar o blog:

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Pontes com beleza na cidade medieval

A Ponte dos suspiros, assim chamada porque os réus ali dariam seu último adeus
A Ponte dos suspiros, assim chamada porque os réus ali dariam seu último adeus
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs









A Ponte dos Suspiros, em Veneza. Quem não a conhece? Reúne dois corredores de palácios.

Tão simples! Tão pequena! É insignificante como obra de engenharia em comparação com qualquer dos nossos minhocões.

Os senhores acham que algum desses minhocões vai passar para a história?

A Ponte dos Suspiros é uma amostra da natureza espiritual da alma humana. Embora tal vez não seja verdade que os condenados à morte passavam por essa ponte, a ideia de que uma ponte chamada dos Suspiros!

Como é nobre suspirar numa ponte, olhando para a água! Como isso é belo! Que bom lugar para suspirar!

E quanta dignificação entra a alma humana escolher um lugar adequado para o ponto onde ela suspira!

Quem não ouviu falar da Ponte dos Suspiros? Quem não a admira?

Os senhores em São Paulo comparem o Viaduto do Chá com o Viaduto Santo Ifigênia. Todo mundo gosta mais do Viaduto do Chá.

O Viaduto do Chá é uma rua Barão de Itapetininga que se prolonga em dois parapeitos sem graça, onde a única singularidade que há é uma espécie de batatões de cimento.

Comparem com o Viaduto de Santa Ifigênia, mais estreito, menos escancarado.

Mas olhem as grades do viaduto: todas ornadas, todas floridas; olhem os metais que estão em baixo: todos ligeiros, nada fala de massa pesada, agressiva.

Com frequência a ponte se reflete nos rios que passam sob ela.

Pode-se dizer que a alegria do rio é passar sob a ponte, recolher a sua imagem e depois levá-la muito além.

E que quando um rio passa por debaixo de uma bela ponte, um capítulo de sua história foi feito. Ele passou pela ponte tal.

Ponte Sant'Angelo sobre o Tibre, Roma, em direção ao castelo do Santo Anjo Miguel
Se os senhores, por exemplo, soubessem agora que o Tietê passou por debaixo da ponte do Castelo de Santo Ângelo, não é verdade que os senhores paravam o automóvel para olhar para o Tietê?

Por que? Porque ele trouxe algo dessa figura.

Mas como é verdade o contrário!

Imaginem uma ponte a cujos pés tenha secado a água; a cujos pés a água tenha deixado de correr por uma razão qualquer, por exemplo, uma obra prosaica que obrigou o desvio das águas.

Os srs. imaginem a solidão da ponte vendo seus fundamentos secos, e nada do que acontece junto a ela.

A sua imagem não se reflete, não tem brilho, está seca, esturricada no ar.

De repente, abrem-se as comportas e a água começa a circular; da parte da ponte, um gáudio!

Se é uma alegria refletir algo que representa uma tradição, quanta alegria é refletir uma tradição em algo que representa o futuro.

E a continuidade da água que vem de um local remoto, fica enobrecida por um presente formoso e se encaminha enobrecida para o futuro.



(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, excertos de palestra pronunciada em 26.8.78, sem revisão do autor)



GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CONTOS SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

terça-feira, 14 de maio de 2019

A revolução industrial medieval: os começos da engenharia moderna


Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Uma certa “lenda negra” visceralmente anti-medieval acostumava apresentar a Idade Média como uma era de retrocesso técnico.

Essa visualização anti-histórica movida por um fundo anticristão não resiste mais à crítica científica.

O Professor Raul Bernardo Vidal Pessolani, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal Fluminens ‒ UFF, vem de publicar a respeito esclarecedora apresentação de Power Point.

A apresentação dispensa comentários e a reproduzimos a continuação:



PowerPoint: A Revolução Industrial Medieval e os começos da Engenharia




Clique nas setas para passar o slide.
Veja em FULLSCREEN clicando no MENU no canto inferior esquerdo.




Alguns grandes nomes da ciência medieval

Na Idade Média nasceu a ciência logicamente sistematizada

Sem a Igreja Católica não teria havido ciência e progresso autênticos

Na Idade Média, a Europa encheu-se de escritores, artistas, monumentos e invenções

Os hospitais: frutos da caridade desconhecidos antes da Idade Média

Universidades e catedrais francesas: farois da cultura medieval

Invenção “sui generis” de um monge e Papa: o zero

Idade Média: era de grandes descobertas geográficas

Historiadores recusam os mitos anti-católicos e anti-medievais

Os mosteiros levaram a agricultura a patamar nunca visto

Descobertas grandes e surpreendentes

Castelos, abadias e aldeias medievais integradas com a natureza. Exemplo dos queijos e cervejas de Chimay

Melhores vinhos modernos: herança das abadias medievais

Monges trapistas fazem a melhor cerveja do mundo

Ordenadas pela lógica floresceram ciências como a mecânica, as matemáticas, a física e a astronomia

Nascimento e triunfo dos altos estudos

A minúscula carolíngia mudou o rumo da cultura e da alfabetização

Convite aos fiéis a aprofundar racionalmente as verdades da fé

Sob a doce luz de Cristo, a Idade Média foi uma explosão de liberdade, criatividade e progresso, diz catedrático de Lisboa

A revolução industrial da Idade Média: os surpreendentes planos de Villard de Honnecourt

A movimentada vida dos engenheiros medievais

A Idade Média à procura do Movimento Perpétuo para resolver o problema da energia

Energia industrial para invenções e “gadgets” em plena era medieval

A geometria a serviço do arquiteto medieval

Conhecimentos industriais e científicos da Antiguidade cuidadosamente aproveitados

Os mestres medievais autores de inventos atribuídos a Leonardo da Vinci

O relógio astronômico do Ocidente nasceu na Idade Média

Um abade na ponta da tecnologia: Dom Richard Wallingford

Uma vocação familiar para relógios nunca antes sonhados: os Dondi

Monges inventores de tecnologias logo comunicadas a todos

Idade Média: ingenuidade ou entendimento superior das coisas?

O monasticismo católico e a restauração da fé, da cultura e das ciências

A Idade Média achava que a Terra era plana?

Idade das Trevas? Ou Idade da Luz da Fé e da razão irmanadas?

O sistema universitário medieval: o oposto do conhecimento fragmentário hodierno

"Caso Galileu": manipulação revolucionária para abalar a hierarquia medieval das ciências

Sob o Catolicismo as ciências progrediram mais que em qualquer outra civilização

Invenções e instituições criadas na época medieval

A revolução industrial medieval: os começos da engenharia moderna

Mito errado: Na Idade Média a ciência ficou estagnada, e não houve progresso técnico



GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CONTOS SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS