Outras formas de visualizar o blog:

terça-feira, 8 de maio de 2012

O guerreiro medieval participava da glória do martírio. Beleza do cavaleiro andante


De um certo ponto de vista, o homem de paz, de uma profissão pacífica, era muito mais do que o guerreiro. Mas de outro ponto de vista ele era muito menos.

Porque o guerreiro corria o risco por Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele dava a vida por Nosso Senhor e ali entravam a glória incomparável do martírio.

Toda santidade tem glória, mas o martírio tem uma glória especial. Dessa glória era participante o guerreiro que guerreia por Deus, por Nossa Senhora, etc.

Uma forma de cavalaria que se adulterou muito, etc., mas cujo ideal era muito bonito, era a cavalaria andante. O cavaleiro que ia sozinho ou em grupo de dois ou três por vales e montes, para procurar as injustiças para reparar.


Então, defendia as viúvas, os órfãos, os pobres oprimidos por um senhor tirânico, etc. Enfim, ele restaurava a prática da Lei de Deus onde quer que se encontrasse. É muito bonito.

Então, ver no alto de uma montanha a silhueta de um cavaleiro que anda. Está à procura do quê? De um mal a esmagar.

Do alto de uma montanha — eu estou pensando nas montanhas da Espanha, que são magníficas porque dão a impressão de que elas caíram do céu durante um acontecimento cósmico fabuloso —num cavalo magro, um cavaleiro vai andando com o sol batendo na couraça, no capacete, e não prestando atenção em nada.

O que ele está fazendo? É um cavaleiro andante que está à procura de uma injustiça para reparar. É muito bonito.

Historicamente isso se deteriorou, mas é muito bonito.

(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, 28/2/91. Sem revisão do autor)




GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CONTOS SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Um comentário:

  1. José Juarez Batista Leite15 de maio de 2012 22:55

    Quando se fala na defesa dos órfãos,das viúvas e injustiçados é sempre bom saber de pessoas que dedicam as suas vidas a salvaguardar os direitos dos menos favorecidos.No caso dos cavaleiros andantes ou guerreiros medievais temos um exemplo de disponibilidade total,inclusive da própria vida,para fazer valer a prática da justiça,tendo como referência a Lei de Deus.Entretanto,no que diz respeito ao Martírio,em termos cristãos/católicos,requer do Mártir uma absoluta renúncia a qualquer tipo de reação física,violenta e não admite de forma alguma a supressão da vida alheia,ou seja,é o grão de trigo que cai por terra e morre para gerar vida cristã/católica em outras pessoas.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.