Outras formas de visualizar o blog:

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Harmoniosa complementaridade entre o castelo e a casa camponesa

A imagem representa uma excursão de camponeses mais abastados. Serão, tal vez, proprietários pequenos ou médios de propriedades rurais.

Eles se divertem num passeio em bote pelo canal. O homem está tocando uma flauta, um moça está tocando um bandolim, um homem atrás rema.

Eles estão andando num canal que vai ao longo de um castelo.

O castelo tem beleza arquitetônica. A harmonia das linhas, o belo reflexo sobre as águas, os cisnes nadam num grande sossego.

Bem em frente do castelo há uma casa de plebeus. Entre o castelo e casa dos campônios se estabelece naturalmente uma comparação muito bonita de duas classes sociais: o castelo é mais nobre, rico e belo, mas em frente dele reina a fartura e a comodidade.

A poesia, a quietude, a tranqüilidade caracteriza essas habitações camponesas, feitas por populares cuja manifestação de bom gosto é menos acentuada do que nos nobres. A casa tem um aconchego e uma beleza insuspeitados para os dias de hoje, mas essas eram construções normais para a Idade Média.