Outras formas de visualizar o blog:

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Veneza: cidade que desafia o equilíbrio

Veneza é uma cidade que desafia o equilíbrio. Ela é uma sublime explosão de cores e de formas meio despreocupadas tendendo a um prodigioso meio irreal.

Veneza embriaga.

Veneza é uma das muitas Itálias, porque houve incontáveis Itálias.

Podemos ver antes de tudo, a diferença que vai entre o Campanile ‒ que é uma torre contendo os sinos ‒, e a Basílica de São Marcos.

De lado, fica o incomparável Palácio dos Doges, governantes supremos da República de Veneza eleitos cada cinco anos.

A Basílica é a capela dos Doges e a torre é o campanário da Basílica.

O Campanile é reto, vai para o céu quase como um desafio. Ele se despreocupou completamente com o que está ao redor dele, não liga para nada.

A parte de baixo toda nua, simples, tem um gosto italiano muito especial. É um pe-queno pormenor, não no centro como poria o francês, mas de lado: uma fila de janeli-nhas.